sexta-feira, 5 de junho de 2009

KONONO Nº1 | Congo

03 JULHO . SEXTA-FEIRA . 21h30
ENTRADA LIVRE





Com um sistema de som construído artesanalmente, feito de partes de carro, megafones, amplificadores respigados e likembés electrificados, os Konono Nr. 1 inventaram uma música perfeitamente hipnótica.

Na sua base está a música transe ancestral da área de Bazombo, na fronteira entre o Congo e Angola, que aqui se altera, num casamento inquieto entre a tradição e a tecnologia, os ritmos africanos e as texturas do rock experimental e da música electrónica.

Música de dança imparável e cheia de distorção, para ouvir bem alto e que nos transporta para uma outra esfera!


Mawangu Mingiedi - likembe

Makonda Mbuta - likembe

Mawangu Makuntima - likembe

Waku Menga - voz

Antoine Ndombele - likembe baixo

Ndofusu Mbiyavanga- percussão

Vincent Visi - sinos

Pauline Mbuka Nsiala - voz

Aharon Matondo Mabasukisa - intérprete

www.myspace.com/konononr1


video

PONTOS NEGROS

03 JULHO . SEXTA-FEIRA . 23h00
ENTRADA LIVRE




A Grande Lisboa num pequeno sing along. Um minúsculo conto de fadas do subúrbio. Eis Os Pontos Negros, assim chamados por oposição aos White Stripes, autores de um roque enrole que, ora se canta em português, ora dá vontade de assobiar. O albúm de estreia “Magnífico Material Inútil” foi considerado pela generalidade da crítica como um dos melhores de música portuguesa em 2008.


A sua história pode resumir-se a um invulgar talento para escrever boas canções e saber muito bem como apresentá-las. Quando damos por eles estão a invadir as rádios, a dominar a internet, a passar na MTV, a tocar num festival de Verão, a lançar um disco por uma multinacional ou a integrar os Novos Talentos Fnac.


Jónatas Pires - Guitarra, Voz e Coros
Filipe Sousa - Guitarra, Voz e Coros
David Pires - Bateria e Coros

Silas Ferreira - Órgão, Pandeireta e Coros




www.youtube.com/watch?v=WTXQWEIAj0k
www.myspace.com/ospontosnegros


video





03 JULHO . SEXTA-FEIRA . 00h30
OS GOLPES

.

FALSA ESCUADRA | Argentina

04 JULHO . SÁBADO . 18h30
CIRCO . DANÇA . TEATRO . CLOWN

ENTRADA LIVRE


Um espectáculo argentino numa fusão entre o circo, a dança, o teatro e o clown.

Falsa Escuadra é a história de dois homens e um armário. Com uma forte componente visual e musical, cria um mundo próprio em torno destes personagens e das múltiplas complicações e funcionalidades do seu armário, onde imperam o humor e uma poética surrealista.

Equilíbrio, malabarismo e acrobacia num espectáculo dinâmico e divertido, para todos!

Intérpretes: Ivan Larroque Fernando Rosen
Desenho e realização do Armário: Ernesto Sotera
Figurinos: Laura Molina
Coreografia: Carolina Della Negra
Música Original: Luis Rodrigo Díaz Muñíz
Produção: Escena Subterrânea - Cia movimiento Armario
Autores: Martín Joab, Ivan Larroque y Fernando Rosen
Direcção: Martín Joab


www.youtube.com/watch?v=chQMvKAHYzg
http://www.movimientoarmario.blogspot.com/

video

XXXI FESTIVAL DE FOLCLORE DE TORRES NOVAS

04 JULHO . SÁBADO . 21h30
ENTRADA LIVRE

Rancho Folclórico de Torres Novas (Ribatejo/Templários)
Rancho F. da casa do Povo de Vila Boa do Bispo – Marco de Canavezes (Entre Douro e Minho)
Rancho Etnográfico de Esmoriz (Beira Litoral)
Rancho Folclórico de Montargil (Alentejo)

TUCANAS | Ma Mazurka

04 JULHO . SÁBADO . 23h00
ENTRADA LIVRE


Cinco mulheres apostaram os seus argumentos criativos na construção de instrumentos e na composição de temas inspirados nas tradições portuguesas, africanas e brasileiras. Um espectáculo que se caracteriza pela sua vertente cénica, onde brincam e jogam com o ritmo e a harmonia, num visual muito próprio, entre a sensibilidade feminina e a força rude de tocar percussão.

Ana Cláudia, Marina Henriques, Mónica Rocha, Sara Jonatas e Catarina Ribeiro

www.youtube.com/watch?v=j9clCD0qQUA


video

“OS GANHÕES” DE CASTRO VERDE

05 JULHO . DOMINGO . 18h30
ACA – Associação de Cante Alentejano

ENTRADA LIVRE




As raízes do cante alentejano perdem-se na História, como na história de Castro Verde se perde a origem de um cantar ligado à terra, cuja tradição “Os Ganhões” perpetuam. Um cante que já foi
de trabalho, que é agora mais de lazer e de convívio, mas sobretudo, e sempre, de afirmação cultural.

Um cante da planície, cantado por homens de face rugosa, habituados ao sol que incendeia a tarde, sedentos de partilharem este saber antigo, talvez tão antigo como esta terra onde habitam:
ALENTEJO de seu nome.

“Os Ganhões” de Castro Verde conhecem o tamanho das palavras que cantam. Palavras singelas: terra, sol, Alentejo: palavras imensas. “Os Ganhões” cantam o sentido dessas palavras tão grandes. E as suas vozes, espalhadas sobre a terra, entram dentro da gente e são infinitas.

José Luís Peixoto

.

MUSAFIR | Ciganos do Rajastão, Índia

05 JULHO . DOMINGO . 21h30
ENTRADA LIVRE


Das paisagens da Índia, os Musafir trazem-nos uma inovadora interpretação dos ritmos e sonoridades milenares da cultura hindu, num espectáculo que ultrapassa o espectro musical. O grupo desvenda
as mais profundas raízes do Rajastão perfumadas por dançarinas encantadoras de cobras, acrobacias com fakirs, engolidores de sabres e cuspidores de fogo.

A palavra “musafir”, que significa “itinerância”, reflecte o modo de vida que inspira estes músicos ciganos vindos do deserto indiano: o transe das tablas é festa para todos!

Hameed Khan - Tablas
Supki - dançarina
Mehboob Khan Langa – Harmonium e voz
Amjad Ali - voz
Sattar Khan - Dholak e Flauta dupla
Amiruddin - voz e Sarangi
Govinda - Faquir


www.youtube.com/watch?v=0eKAL5WdWsY
www.myspace.com/musafirkawa


video

COMMEDIA A LA CARTE

05 JULHO . DOMINGO . 23h30
VOLTA A PORTUGAL EM COMMEDIA
ENTRADA LIVRE







Os Commedia a La Carte são reconhecidos pelo seu trabalho na área da comédia de improvisação, sendo únicos em Portugal. Três actores actuam sob os caprichos do público, que sugere personagens
e situações, imprimindo o ritmo ao próprio espectáculo.

Um convite à imaginação, sem cenários nem adereços, no qual o público é transportado para ambientes diversos pelo som de um DJ, que acompanha os momentos que se geram em palco. Um
espectáculo aclamado pelo público, que conquistou um prémio no Humorfest em Lagoa em 2008 e que foi destaque, no mesmo ano, no Festival Cómico da Maia.


Interpretação César Mourão, Ricardo Peres e Carlos M. Cunha
Sonoplastia Dj Sérgio Mourato


www.commediaalacarte.com/commedia.htm



video

ORQUESTRA IMPERIAL | Brasil

06 JULHO . SEGUNDA-FEIRA . 21h30
Música carioca para dançar!
ENTRADA LIVRE




Um grupo de amigos reuniu-se para formar uma típica orquestra de gafieira, para interpretar um repertório variado, boleros, temas dos anos 60 ou clássicos da cultura de salão, com novos arranjos.
Quando a Orquestra Imperial estreou, reuniu representantes das mais diversas vertentes da nova música brasileira.

Em 2007 lançaram o primeiro álbum “Carnaval Só Ano Que Vem” com composições colectivas e inéditas do grupo. As críticas foram excelentes nos melhores jornais e revistas do país. O disco foi lançado na Europa e passou por alguns dos mais conceituados festivais europeus.

O palco fez da “big band” uma sala de estar dos mais diversos estilos musicais. Seu Jorge, Fernanda Abreu ou Ney Matogrosso, são alguns dos artistas que por ali passaram.



Nina Becker - voz
Bernard Ceppas - teclados e efeitos
Moreno Veloso - voz e percussões
Wilson das Neves - voz e percussão
Kassin - baixo
Duani Martins - voz e cavaquinho
Nelson Jacobina - guitarra
Rodrigo Bartolo - guitarra
Rubinho Jacobina - teclado e voz
Domenico Lancelotti - bateria e voz
Stephane San Juan - percussão
Bodão - percussão
Leo Monteiro - percussão electrónica
Felipe Pinaud - flauta
Altair Martins - trompete
Mauro Zacharias - trombone
Marlon Sette - trombone



www.myspace.com/orquestraimperial
http://orquestraimperial.com.br/

video

LULA PENA

06 JULHO . SEGUNDA-FEIRA . 23h00
ENTRADA LIVRE




O seu primeiro disco “Phados”, lançado em 1998, chegou para conquistar o reconhecimento entre o público e a crítica. Regressa agora com novos concertos e um segundo disco para breve.

Lula Pena é a encarnação do novo fado. Da renovação do fado tradicional em algo ainda mais puro, apurado e simples. Exótica e nómada, a movimentação geográfica leva-a a descobrir outras realidades e possibilidades musicais, estabelecendo uma relação desta canção com outras, do Brasil e de Cabo Verde. Mas é o fado que a faz cantar Amália e Chico Buarque na mesma frase.

Sem ninguém o prever, Lula Pena prepara-se para mais uma vez nos surpreender com a sua presença e voz em palco.

Lula Pena - voz e guitarra

www.myspace.com/lulapena


video